8 Tendências surpreendentes da nossa Mente

8 tendências da mente

 

Quando a mente morre, o amor nasce.

Sempre que há amor, a mente morre, e isso é doloroso. É por isso que o amor sempre traz dor com ele. Algo em você está se dissolvendo – o ego, a mente – e essa dissolução é dolorosa. A mente não quer se dissolver. Ela quer enfatizar sua existência. Não quer a dor da dissolução, a dor é insuportável.

Muitas vezes você vê pessoas que se amam brigando, e você não entende porque elas brigam quando há tanto amor entre elas. Estes são os mecanismos. O amor é tão forte e tão poderoso, que a mente não consegue segurá-lo. Ela quer segurar. Não pode ficar. Não pode existir. Ela se dissolve e traz dor; uma dor insuportável. Então, para se livrar da dor, a mente se revolta. E essa rebelião é a briga. Quando você se entrega a alguém, isso é mais evidente. É mais claro.

 

A mente quer algo impossível!

A mente tem uma natureza peculiar. Deseja algo, e quando alcança, já não acha mais tão interessante. Deixa e se afasta, porque não suporta ficar totalmente no presente. Se dissolve. E, se não consegue o que quer, fica frustrada. Então também, há uma rejeição, uma rebelião na mente.

Você já reparou nisso? Você quer algo e anseia por aquilo. E se você conseguir, se você o tiver, a mente perde o interesse. Ela o descarta muito facilmente, muito rapidamente. Não encontra alegria. Ela quer algo que não esteja por perto. Quer algo impossível. No momento em que se torna possível, se afasta e vai mais longe.

Não é culpa de ninguém. É sua natureza. Está acostumada a viver de desejos; então fica frustrada de qualquer maneira. Satisfação ou insatisfação levam à frustração.

 

Onde quer que você vá, você carrega sua própria mente!

Se você está em paz, tudo a sua volta se torna pacífico; a situação que você se encontra se torna pacífica e as pessoas ao seu redor se tornam pacíficas. Você é o centro desse universo. Por que você está procurando paz em qualquer outro lugar, com qualquer outra pessoa e com qualquer outra configuração? Onde quer que você vá, você carrega sua própria mente. E onde quer que você vá, você cria os mesmos problemas. Pode até parecer estar calmo e silencioso por algum tempo em algum lugar, mas então será o mesmo lá também.

A menos que você perceba e olhe para isso, nada ajudará no longo prazo. Não há outra solução permanente.

 

A mente limitada faz negócios em todos os lugares!

A mente limitada está sempre tentando fazer negócios em nome do amor. Em todos os relacionamentos, você verá que as pessoas estão exigindo mais. E mesmo que elas doem, elas pensam que devem receber muito mais do que o que deram. Acham que já deram o suficiente! Em qualquer relacionamento, todos sentem que fizeram tudo o que podiam por seus parentes e amigos e que por isso eles devem amá-los. Tudo o que fazemos é para obter amor, atenção, reconhecimento ou algo do tipo. Isso é um negócio. Fazer algo para conseguir algo em troca é um negócio.

 

Todos os desejos surgem quando sua mente não está totalmente consciente!

Uma mente semiconsciente é a mãe dos desejos. Se a mente está inconsciente, nenhum desejo vem, por exemplo, durante o sono não há desejos. E quando a mente está completamente consciente, então também não há nenhum desejo porque ela já tem tudo. O que o desejo significa? Significa falta de alegria ou satisfação e a exigência de satisfação e alegria. Não é que, se surgirem desejos, eles devam ser interrompidos. Quando eles estão lá, eles estão lá. Quando os desejos surgirem, você deve se tornar mais consciente e estar ciente de sua natureza.

 

A mente oscila entre os extremos!

Suponha que um pedaço delicado de seda esteja preso em um arbusto espinhoso. É necessário certa habilidade para removê-lo. É o mesmo com a mente. É muito fácil para a mente gostar ou não gostar de algo, ou oscilar entre esses dois extremos. A mente existe ao fazer isso. Não pode existir sem esses opostos; sem a dualidade, sem a oscilação. Ou a mente vai gostar ou não vai gostar de algo.

A mente odeia alguma coisa, e então, novamente, adora outra coisa. A mente está voltada para o que quer que se entenda como ruim ou errado (o que não devemos fazer). Faz isso com bastante frequência. A mente está atrelada a algumas ideais e resoluções. “Eu devo fazer isso, eu quero ser assim”, e então é muito difícil seguir esses ideais. Vocês todos já experimentaram isso mais de uma vez.

 

Há um ponto chave pelo qual a mente pode ser elevada, ele é o maravilhamento.

Maravilhamento é onde não há julgamentos, nem mente. É muito fácil escorregar da admiração para os julgamentos. É uma linha tênue! Pergunte-se sobre os julgamentos de gostos ou desgostos. Como deveria ou não deveria ser. O que eu quero e o que eu não quero. No maravilhamento, não há vontade ou falta de vontade. O maravilhamento é uma maravilha! Na admiração, não há gostos ou desgostos. E aquilo que “é” é uma maravilha.

 

Sua mente não é clara nem focada quando há uma obsessão ou um desejo.

Veja quão calma, serena, tranquila e consciente sua mente é quando os desejos vão embora. Veja quão perspicaz e focado você fica. Muitas pessoas nunca experimentaram tal foco e tal clareza em suas vidas! Este é o infortúnio delas. Só posso me perguntar como aqueles que experimentaram um pouco disso, ainda caem em desejos e luxúria. Não estou dizendo que isso é ruim e você não deve fazê-lo, porque então a mente vai dizer: “Não, eu não devo fazer isso” e então toda a viagem começa. Olhe e pergunte-se sobre estes samskāras (impressões) em você. Nesse exato momento elas irão se dissolver e você se eleva acima deles.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s