Qual a forma certa de amar?

qual-a-forma-certa-de-amar

Sri Sri Ravi Shankar – 19/02/2012 – The Huffington Post

Quais são os sinais do amor?

Quando você ama uma pessoa, não vê nada de errado nela. Mesmo que você veja uma falha nela, você a justifica de alguma forma dizendo: “Todos fazem isso; é normal”. Você acha que não fez o suficiente por ela e quanto mais você faz, mais você quer fazer. A pessoa está sempre na sua mente. As coisas comuns se tornam extraordinárias. Quando você ama alguém, você quer ver a pessoa feliz sempre e você quer que ela tenha o melhor.

Amor e beleza andam de mãos dadas. Se algo é lindo, você não pode deixar de amá-lo. Quando você ama esta criação, você a vê como bonita. Quando você está cansado dessa criação, você a acha feia. É por isso que para apreciar a beleza, primeiro você deve entender o amor. A compreensão de que estou falando não é meramente intelectual, mas olhar para todos os pontos.

Geralmente, quando amamos alguma coisa, queremos possuí-la. Se você aprecia uma pintura, você quer comprá-la e mantê-la em sua casa. Você encontra um bela peça de roupa, e embora saiba que vai usá-la apenas um par de vezes, você a compra e coloca no armário. Você conhece apenas uma maneira de amar – amar, possuir e esquecer. Quando você tenta possuir o amor, você rouba a sua beleza, e então esse mesmo amor lhe traz dor. Quem quer que você ame, você tenta definir condições. De uma maneira muito sutil você tenta governá-los. E tudo que você tentar controlar se tornará feio.

Você nunca amou alguém sem tentar possuí-lo. Começa na infância. Quando o segundo bebê vem, o primeiro bebê quer toda a atenção. “Por que você trouxe este bebê para casa?” Muitas crianças dizem: “Você pertence a mim e só a mim”. É um profundo samskara, uma profunda impressão, esse medo de perder o nosso lugar no coração de alguém que amamos.

Primeiro vem a atração. Quando se torna um pouquinho difícil alcançar o que está te atraindo, então você começa a amá-lo. Você notou isso? Se você simplesmente obtiver o que está atraindo você – em um estalar de dedos, rapidamente – você não desenvolve amor por ele. Um desejo deve surgir. Isso leva ao amor. Mas o amor traz o medo da perda.

No entanto, um amor que tem o medo da perda não irá florescer. Ele leva você a outras sensações e sentimentos feios. O ciúme vem. Há alguém que você ama muito – um amigo, um namorado, uma namorada – mas a atenção dele ou dela está em outra pessoa. Veja o que está acontecendo em seu estômago – está agitado. Você tenta todos os tipos de truques para negar o que está acontecendo dentro de você. Muita feiúra surge porque há medo de perda. Você nunca ama algo que é grande, que é enorme, porque você ainda não se tornou grande. E enquanto você estiver muito pequeno, não há alegria, não há felicidade, não há paz. A alegria é expansão, tornar-se grande em seu coração. Isso só pode acontecer em uma situação em que você está muito apaixonado, mas não pode possuir o que ama.

Você já pensou sobre por que você ama alguém? É por causa de suas qualidades ou é por causa de um senso de parentesco ou intimidade? Você pode amar alguém por suas qualidades e não ter um senso de intimidade. Este tipo de amor dá origem à concorrência e ao ciúme. Se o amor é baseado nas qualidades de uma pessoa, esse amor não é estável. Depois de algum tempo, as qualidades mudam e o amor se torna instável. No entanto, se você ama alguém porque essa pessoa faz parte de você, então esse amor permanece durante a vida. Amar alguém por fazer parte de você, sendo grandioso ou não, é amor incondicional. O amor que é centrado torna-se felicidade.

E quando há tanto amor, você assume total responsabilidade por qualquer mal-entendido. Por um momento você pode expressar desânimo na superfície. Mas quando você não sente o desânimo em seu coração, você chega a uma perfeita compreensão. Você está em um estado onde todos os problemas e todas as diferenças se afastam e somente o amor brilha completamente.

No mundo, as pessoas te amam porque você lhes dá conforto. Se você está exigindo provas de amor, você está dando conforto? Se alguém duvida do seu amor e você tem que prová-lo constantemente, isso se torna um fardo pesado para você. Sua natureza é largar o peso, então quando o amor é questionado, você não se sente confortável. Portanto, não peça a prova de que a outra pessoa o ama. O amor não precisa de provas. Ações e palavras não podem provar o amor.

As práticas espirituais, o conhecimento do Ser, do serviço e do satsang (reunidos em celebração) ajudam a criar um sentimento de pertencimento. Quando o amor brota de um sentimento de pertencimento, então as ações ou qualidades não ofuscam o amor. Nem qualidades nem ações podem ser perfeitas o tempo todo. Apenas o amor e um sentimento de afinidade podem ser perfeitos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s