Errar é humano. Perdoar é Divino.

Quarta-feira, 10/12/2014, Bangalore, India

Quando você tiver uma vontade forte de se livrar de qualquer mau hábito, a oração profunda poderá mudá-lo. Quantos de vocês experimentaram isso?

[Muitos na audiência levantaram as mãos]

Pergunta: Qual é a relevância da moralidade no mundo real, quando a divindade é considerada além da moralidade, como no caso de Krishna?

Sri Sri Ravi Shankar: O princípio básico da moralidade é não fazer ao outro aquilo que você não gostaria que essa pessoa fizesse com você.

Se você não quer que seu marido flerte com alguém, você não deveria flertar com outra pessoa. É isso!

Havia um rapaz que estava ficando com uma mulher casada e ele não achava que era errado. Ele dizia: ‘Nós fazemos isso por consentimento mútuo’.

E eu perguntei a ele: ‘Se alguém ficasse com a esposa do seu irmão, o que você faria?’

Ele disse: ‘Eu quebraria a perna dele’.

Eu disse: ‘Você quer que a mulher do seu irmão seja fiel a ele. Então como pode fazer isso para outra pessoa?’

Eu disse: ‘Se houvesse um futuro no relacionamento, seria uma coisa diferente. Mas não há futuro. Então por que você deveria destruir a família de outra pessoa?’

Isso atingiu um ponto nele, que entendeu que era errado o que estava fazendo.

Isso é moralidade.

O que você não deseja que seja feito a você ou a alguém próximo de você, aos seus entes queridos, não deveria fazer a outra pessoa.

Se você não quer que outra pessoa se comporte mal com sua filha ou com seu filho, então como pode fazer isso com o filho ou filha de outra pessoa?

Se você não quer que outra pessoa esteja bêbada enquanto dirige, então como pode dirigir quando está bêbado?

Se você não quer que outra pessoa roube suas coisas ou lhe engane, então você não deveria enganar ninguém.

Suponha que alguém falsifique sua assinatura.

Você não pode pensar: ‘Ah! Somos espirituais, tudo isso é mundano. Qual o problema se alguém forjou minha assinatura? Tudo é maya [ilusão] de qualquer forma.’

Se alguém põe a mão no seu bolso, você por acaso diria: “Ah! Somos todos um. Por que alguém deveria ter esse ego?’

Não. Isso é uso indevido do conhecimento.

Se o conhecimento é usado para proteger a atividade imoral isso é mal uso do conhecimento.

Moralidade significa não fazer algo que você não deseja que seja feito a si mesmo.

Mas se alguém fez algo errado, não se apegue a isso.

Se um erro aconteceu através de você, assim como você perdoa os erros dos outros, deveria também perdoar a si mesmo.

Perdoe a si e aos outros.

Não rumine seus próprios erros nem os erros dos outros.

Quando você fica ruminando sobre os erros alheios, você fica com raiva.

Quando você fica ruminando sobre os seus próprios erros, você se sentirá culpado e mergulhará na depressão.

Ambas as situações não são boas.

A espiritualidade lhe tira de tudo isso.

Como se diz, errar é humano.

Você comete erros.

Mas não fique sentado ruminando seus próprios erros ou os erros das outras pessoas.

Se alguém errou, você deveria perdoar e esquecer.

Se você errou, deveria pedir perdão e seguir em frente.

Não fique preso a isso. Liberte-se!

Se você estiver decepcionado com você mesmo, você pode ficar com  raiva dos outros com muita facilidade.

E se você estiver com raiva dos outros, vai ficar chateado com você mesmo.

Ambas as posições não são favoráveis.

Pergunta: É dito que tudo é um sonho. Eu estou no sonho de quem? Estou em seu sonho ou você está no meu, ou ambos estamos  num sonho comum? Se é sonho, como é que ele tem regras e padrões?

Sri Sri Ravi Shankar: O que é um sonho? É uma impressão de uma memória.

Acorde e neste exato momento você verá que todo o passado parece como sonho.

É tudo apenas uma lembrança. É só uma impressão na mente e nada mais!

Portanto, tudo é uma impressão na mente.

O que você vê, escuta, cheira e experimenta, o que você toca, tudo isso forma impressões na consciência.

Contanto que vocês estejam todos dentro dos sonhos uns dos outros, tudo ficará bem!

Você pode ter seus próprios sonhos também.

Pergunta: Qual o critério para considerar qualquer um como um avatar? Sri Krishna não é considerado um avatar em muitas religiões além do Hinduísmo.

Sri Sri Ravi Shankar: Primeiro você deve entender o que significa avatar.

Avatar significa descendente da Divindade.

E onde quer que você encontre o conhecimento, a Divindade descendeu nesse lugar.

É ver o sem forma na forma.

No Srimad Bhagavatam é dito que o Divino descendeu nos cisnes, no fogo, nas árvores e em todos os animais.

Toda a criação não é senão a manifestação da Divindade e de onde quer que você receba esta mensagem, você o denomina um avatar.

O Sábio Dattatreya registrou 24 formas diferentes de vida.

Ele recebeu o conhecimento de um cisne e disse que o cisne era uma forma de Vishnu.

Você deve saber que Deus está presente em toda partícula do universo. A mercadoria mais barata disponível é a Divindade!

Ela está presente na Terra, Água, Fogo, Ar e Éter.

Tudo é feito de uma vibração e ela pode ser chamada por qualquer nome: Brahman, Divindade, Deus.

Portanto, quando a Divindade resplandece através de alguém que transmite o conhecimento e pode ensejar o amor, então se considere-o como um avatar.

 

Anúncios

Um pensamento sobre “Errar é humano. Perdoar é Divino.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s