“A voz da justiça, da paz e da não violência deve ser ouvida alta e clara”

Hong Kong, 5 de julho de 2010

O que você dá você recebe de volta. A natureza é assim; ela reflete o que você dá ao mundo.

Você pode me escutar? (num tom de voz baixinho)

Este é o efeito quando nós falamos e nossa voz não é ouvida. A voz da justiça, paz e não-violência deve ser ouvida alta e clara. O principal motivo de estresse é que nós sentimos que as pessoas não nos entendem, nosso esposo, nossos colegas, nossos pais, nossos filhos. Este problema de comunicação cria uma grande tempestade. Os filhos reclamam que os pais não os entendem e os pais reclamam que os filhos não os entendem.

Quantos pais vivenciaram isto? (vários levantam as mãos)

Nós todos temos problemas de comunicação, ou com irmãos, irmãs ou com qualquer outro parente. Quantos concordam com isto? Os casados não precisam levantar as mãos. Eu não quero causar uma tempestade em casa! (todos riem).

Nós achamos que somos mal entendidos, e isto é um problema muito comum. Mas, ao invés de reclamar do outro, nós precisamos nos expressar melhor. Suponha que eu fale com você em swahili, você não seria capaz de entender. Mesmo assim, há uma língua que todos, mesmo os animais e as árvores, entendem: é a linguagem do coração. Você não precisa de palavras, a sua presença pode se comunicar. Se você tem um cachorro ou filhote, ele não usa palavras para expressar seu amor quando você volta para casa; a simples presença dele exibe a linguagem do amor.

Quando crianças, nós nascemos com isto, mas em algum momento ao longo do caminho nós nos enrolamos.

O mundo pensa que você é melhor do que você é. Se você pensa que você é 100 por cento de bondade, o mundo pensa que você é 200 por cento. O mundo sempre o honra. Você honra o mundo e isto se reflete em você. O mesmo acontece com coisas ruins como culpa. Ela vai se refletir na pessoa. Sua situação na vida é um reflexo de como você se sente.

Leis da Espiritualidade

1) Pare de se culpar: esta é a primeira lei do caminho espiritual. Não se culpe e não culpe os outros. Pare de se culpar. “Eu não presto”, “eu não faço nada direito”, “eu tenho essa falha”. Se você fica se culpando, você nunca será espiritual. Tanto coisas boas quanto não boas acontecem na vida.

Se você continuar se culpando, você perde seu sorriso e sua autoconfiança. Então vem a raiva e a frustração o que fermenta a violência. Violência traz tendências suicidas.

2) Pare de culpar os outros: todos são apenas os carteiros que entregam as cartas, as encomendas para você. Se você espera doces quando você encomenda pimenta, não é culpa do entregador.

Se você quiser dizer a alguém que ele errou, diga-lhe com cuidado e não com raiva. Diga-lhe firmemente mas com um sorriso e compaixão.

3) O mundo todo é sua família e você não tem inimigos. Esta é a terceira lei da espiritualidade. Se você não pode aceitar o mundo todo como sua família, então comece com “eu não tenho inimigos”. Uma paz cobrirá sua vida; nada pode tirar esta paz.

P. Como pode o relacionamento entre um homem e uma mulher ser bem sucedido?

Sri Sri: Eu gostaria de dar um conselho para o homem, um para a mulher e um para os dois.

Primeiro para a mulher: nunca fira o ego do homem. Você deve sempre enaltecer o ego dele. O mundo todo diz que seu marido não tem cérebro, mas você não deve dizer isto!  Você deve dizer seu marido que ele tem o melhor cérebro do mundo. E não é só porque ele não o usa que significa que ele não o tem!

Se você o chamar de vegetal, ele se tornará um. Uma mulher nunca deve querer prova do homem. Os homens não são tão expressivos, logo não espere elogios. Ao invés disso, você deve cumprimentá-lo.

Para o homem: nunca fira as emoções de uma mulher. Ela pode, algumas vezes, reclamar sobre a família, sobre o irmão dela, ou o pai ou a mãe. Você não deve concordar. Se você o fizer, ela dará meia volta. Nunca insulte a família dela. Não a impeça de fazer compras ou ir a um programa espiritual ou religioso. Se ela quiser fazer compras, dê-lhe o seu cartão de crédito.

Agora para ambos: Nunca peça prova que alguém do amor de alguém por você. Não pergunte um ao outro: ‘você me ama? Você não me ama como você me amava antes’. É um grande peso para alguém ter que provar seu amor pelos outros. Se alguém lhe pedir para lhe provar seu amor, você diria “meu Deus! Como eu provo isto para esta pessoa?”

Resto da palestra no próximo post….

Anúncios

2 pensamentos sobre ““A voz da justiça, da paz e da não violência deve ser ouvida alta e clara”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s