O amor em sua forma derradeira é a devoção

O centro da vida é o amor, ainda assim, parecemos estar tão distantes de nós mesmos. O que poderia nos conectar a nós mesmos? O que poderia nos fazer voltar a nós mesmos? Esta busca continua. Você precisa de uma pequena linha que o conecte, você precisa de algo em que possa segurar-se e que aumente sua esperança na vida, que traga luz a seus olhos, que faça seu coração ficar mais leve, que adicione asas ao seu coração.

O que é que está faltando em sua vida, que pode mudar nossas vidas da angústia para a celebração, que pode transformar as lágrimas de tristeza em lágrimas de alegria e gratidão? Essa linha que precisamos, essa linha que salva vidas, essas cordas, esses cordões são chamados de Sutras, o qual possuem a essência, e em suma, fornecem algo em que você possa segurar-se, algo que o levanta. Uma linha fina pode fazer uma pipa elevar-se no céu. Do mesmo modo, uma mente precisa desse sutra.

Alguns desses sutras – os Bhakti Sutras – são aforismos de amor. Havia um sábio, um “Rishi” de tempos antigos cujo nome era Narada. Narada significa aquele que se conecta com a fonte, aquele que está no centro, e também na circunferência. A maior parte das pessoas concentra-se em suas circunferências, permanecem nela. Nós apenas tentamos achar o nosso centro, mas nunca o alcançamos. Nós nos movemos em círculos, permanecemos no exterior. E existem aqueles que vivem em seus centros, que vivem em seu próprio mundo e que não estão conectados com a realidade prática da vida.

Muitas vezes vocês encontram na vida situações com esta. São pessoas que estão muito atreladas à sua ideologia, mas eles não são tão práticos, outros, são tão práticos que largam suas ideias e objetivos de modo que não há progresso na vida. Você precisa de um equilíbrio, de um caminho, uma conexão com sua ideologia, e da praticidade. A sabedoria é que possibilita que altos ideais sejam possíveis de serem vividos na vida diária, na existência mundana. Rishi Narada é também chamado de Devarshi, um Rishi brincalhão conhecido por fazer travessuras. Ele vive dois papeis em dois lugares diferentes. Há uma expressão coloquial na Índia que diz que não devemos ser como Narada. Ele teria criado problemas por todos os lugares, mas todos esses problemas acabam transformando-se em algo muito bom para todos.

Veja, a vida não é divertida sem que haja uma travessura, a vida não é uma luta, a vida não é algo enfadonho, a vida não é um peso em seus ombros, é celebração, é uma brincadeira. Sua vida é uma brincadeira e um mostruário de consciências. Narada foi um “Rishi” excepcional, único entre os demais, ele criaria a travessura e tocaria pessoas que normalmente não tocaríamos. Ele o conectaria ao seu centro, à sua própria existência.

Quando a vida está estagnada, você precisa ir até Narada, ele o manterá em movimento. E como ele faz isso? Com pequenos aforismos, com os pequenos Sutras, com as palavrinhas de sabedoria, os Bhakti Sutras.Bhakti”, o amor divino. Amor em sua forma derradeira, amor em seu ápice.

“Aquilo que você não pode expressar é Amor.
Aquilo que você não pode rejeitar / renunciar é Beleza.
Aquilo que você não pode evitar é a Verdade. “

~ Sri Sri

Anúncios

Um pensamento sobre “O amor em sua forma derradeira é a devoção

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s