‘Quando você repousa em estado de consciência, é Samadhi’

O que Sri Sri disse hoje:

Índia, (Centro Internacional Arte de Viver, Bangalore), 19 de Agosto de 2009:

P: As ratnas (pedras) têm efeito sobre nós?

SriSri: Sim tudo no mundo afeta tudo mais, mas o poder da mente e dos mantras é o maior de todos.

P: Na religião Hindu, existem histórias de difícil interpretação e que parecem sem sentido. Sua explicação de ontem sobre a história do Gapati foi muito profunda. O senhor poderia nos falar mais sobre tais histórias?

SriSri: Primeiramente, as pessoas deveriam entender sobre símbolos. Diz-se que na ìndia há milhões de Deuses e Deusas. Em outros países diz-se que Deus é Único. Na cultura indiana, falamos sobre as famílas de Deus. Uma Deusa é mostrada cavalgando um tigre, Deuses têm filhos e existem conflitos entre Deuses e Deusas. Para uma mente argumentativa, tais descrições são difíceis de aceitar.

Deus é Sat Chit Anand (Verdade, Consciência e Bem-Aventurança). Ele possui cinco karmas (ações) – Srishti (Criação), Sthiti (Preservação), Samhara (Destruição), Anugrah (Benção) e Tirdhana (Venda).

Ele está em toda parte, e, no entanto, não é visível. Como o ar, que está em toda parte, mas só o sentimos quando ligamos um ventilador ou quando sopra o vento.

Os Rishis (sábios) dizem que existem muitos níveis de criação. O ouro é um só material, mas pode-se fazer tantas coisas a partir dele. Assim também com o trigo, do qual se pode fazer pão, bem como chapatti.

Da mesma forma, o Deus único se mostra com muitos nomes e formas, um Omkar está presente em Brahma (Criador), Vishnu (Operador) e Mahesh (Destruidor).

Quando um único raio de sol se reflete em uma gota d’água, vemos as sete cores do arco-íris!

Antes da Criação, o Operador estava presente. Vishnu estava presente antes que Brahma estivesse. Por exemplo, a grama está presente na criação e quando a cabra vem, produz seu leite antes de dar à luz o filhote, caso contrário a criação não se sustenta! O urso polar dorme por seis meses e dá vazão à sua fome só depois da grama ter brotado.

Vishnu é mostrado como se estivesse descansando, em uma postura deitada. O Mestre da Criação descansa pois a tarefa de mantê-la é tão fácil para ele. Isto não significa que o homem pode se dar ao luxo de dormir o tempo todo. O sono de Vishnu é diferente – ele repousa sobre um leito de cobras, o que simboliza a consciência desperta. Quando alguém repousa consciente está em Yog Nidra (sono yogue) ou Samadhi (Meditação).

No corpo humano o umbigo é o centro de gravidade. Brahma, o Criador, emerge de uma flor de lótus que brota do umbigo de Vishnu.

Só quando estavam repousados   Newton e Einstein puderam fazer novas descobertas. Newton descansava sob uma árvore e lhe veio o conhecimento sobre a  gravidade quando uma maçã caiu sobre sua cabeça. Quando Arquimedes estava na banheira, lhe ocorreu a idéia que buscava há muito tempo.

A Índia sabia sobre a Gurutvakarshan shakti (força da gravidade) milhares de anos antes de Newton tê-la descoberto.

O conhecimento de que o mundo é redondo estava presente na antiga Khagoal Vigyan (ciências orbitais, incluindo os movimentos de rotação e translação).

Nossos ancenstrais entendiam que era por isso que o Sol era o centro do sistema planetário. Nos templos mais antigos, que têm aproximadamente 2.000 anos, vê-se que o Deus Sol está no centro, olhando em direção ao Leste e todos os demais planetas se mantém ao redor Dele.

Atualmente, ensina-se que Galileu descobriu que a Terra é redonda. Isto foi apenas há poucos séculos, mas nossos ancestrais sabiam a este respeito já há milhares de anos.

Nos dias de hoje os cientistas dizem que nas pessoas criativas o plexo solar interior ao umbigo é maior do que o habitual. Quando o umbigo aflora, a pessoa torna-se criativa. Na Índia antiga, isto era representado pela imagem de Brahma nascendo do umbigo de Vishnu.

Brahma, o Criador, tem quatro faces. Isto demonstra que ele obtem conhecimento das quatro direções.

Uma gota de semem e um único óvulo  dào origem a todo o corpo humano. De apenas um anu (átomo) diferentes órgãos do corpo humano – unhas, cabelo, orelhas, etc, são formados; mesmo a textura da pele é diversa nas várias partes do corpo.

Assim, o Único tem a intenção e a capacidade de ser variado. Da mesma forma, a partir de um Deus muitos Deuses e Deusas podem se formar.

Um DNA humano tem em si todos os seres vivos, o que significa que podemos criar todos os seres vivos do planeta, desde um lagarto até um elefante a partir de uma simples gota de saliva humana.

Assim é o poder contido em uma gota de cromossomo. Isto é Deus. Toda a criação é plena de Deus.

O Sanatan Dharma é muito próximo da ciência moderna. Quando você ouve os grandes cientistas você sente como se estivesse ouvindo o Vedanta.

Se uma única espécie animal estiver faltando no mundo, o equilíbrio da criação se perturba. Precisamos, então, de todos os seres. Não se pode ver a Devi Shakti (energia), mas esta devi shakti usa um tigre como seu veículo de locomoção.

O pavão tem as vibrações de Kartikey Swamim, que é mostrado como usando um pavão como Seu veículo. No entanto isto não significa que para adorar Kartikey Swami precisamos capturar um pavão.

Deus está presente em todo átomo da criação, não apenas no mundo exterior, mas dentro do nosso corpo também. É por isto que antes da adoração começamos a invocar as energias de dentro do nosso corpo.

Devo Bhuvata, Devo Bhuje – fique imerso em Deus e adore-O.

As armas nas mãos dos Deuses têm um significado mais profundo. É muito fácil declarar simplesmente que o homem na antigüidade era covarde e colocava as armas nas mãos dos Deuses. Tal interpretação advém da imaginação de um homem amedrontado. Está errada. Pesquise um pouco, aprofunde-se no conhecimento, e você vai se surpreender com a mente do povo que criou os Puranas.

Deuses-Deusas estão dentro de nós, são o que existe em nós. Mostram as falhas humanas como a raiva, a inveja, etc neles também, de modo que você se sente culpado quando estas emoções afloram em você. O propósito dos Puranas era aproximar as pessoas de Deus. Assim, histórias foram criadas com os objetivos de alegria, entretenimento, conhecimento e ciência.

Em HIndi a palavra ‘Purana’ significa velho, enquanto que em Sânscrito significa completamente novo, ultra moderno.

(Do escritório de Sua Santidade Sri Sri Ravi Shankar)

© Fundação Arte de Viver

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s