Yoga é estar estável em sua natureza

yoga-e-estar-estavel-em-sua-natureza

Prazer sempre mantém você na ponta dos pés e te faz correr. Primeiro o prazer faz você correr até ele e, em seguida, faz você fugir dele. Yoga, por outro lado, faz com que você estabilize. Ele traz estabilidade à sua vida.

Um iogue é aquele que é forte e estável em seu corpo, em sua mente e em suas emoções. Isto é muito importante. Se suas emoções continuam tendo altos e baixos é porque você está correndo em direção a algo. E o que é este algo de que você está correndo atrás? É prazer, e uma vez que você chega até o prazer, ele o faz você fugir dele.

Você pode perceber em sua vida, o que quer que você tenha procurado, em algum ponto ou em outro, isso o afastou porque você não podia segurá-lo por mais tempo. Então, todas as pessoas que em algum ponto do tempo tiveram esse sentimento de “eu quero fugir”, saiba que isso é porque você estava aproveitando. Quando você está desfrutando de algo, você definitivamente vai querer fugir disso. Então, se você mudar a atitude de sua mente de procurar o prazer para apenas estar estável, então nada se tornará excessivo.

Você deveria sentir: “Estou aqui para dar conforto aos outros, não buscar conforto”. Esta atitude vai cessar essa tendência de “Oh, isso é demais, eu quero fugir”. Só o gozo do prazer vai fazer você sentir que algo ‘é demais’ para você.

Quando você está estável, você sempre dá o que pode. O Sol nunca diz: “Estou radiante demais e agora quero fugir”. O ouro nunca diz: “Estou brilhando demais”, porque ele está estável em sua natureza. Ele não saiu do seu nicho. Yoga é estar estabelecido em sua própria natureza.

As 3 condições no caminho espiritual

3-condic%cc%a7o%cc%83es-no-caminho-espiritual

Depois de 8,4 milhões de corpos, você recebe o corpo humano.

Apenas imagine, de bactérias, pássaros, animais, etc, depois de 8,4 milhões de vidas, uma vida humana ocorre. Nesta vida humana, poucos conhecem o verdadeiro caminho espiritual. Entre esses, muito poucos andam pelo caminho, e são eles os afortunados.

Adi Shankara também disse que o nascimento humano é muito difícil de se atingir. Depois de ter obtido o nascimento humano, o desejo de querer trilhar pelo caminho espiritual, também é muito difícil de se obter. Poucas pessoas conseguem isso. E mesmo depois de obter este desejo de percorrer o caminho espiritual, apenas poucos têm a oportunidade de fazê-lo. Eles encontram o caminho certo.

Muitas pessoas que querem percorrer o caminho espiritual ficam presas em todas as noções erradas de que um dia o mundo vai desmoronar ou que o dia do juízo final chegará. E assim, essas pessoas rezam por medo. Eles entram em caminhos recortados por medo e culpa. Medo e culpa são duas coisas que nunca permitirão a você se aprofundar em si mesmo. E é isso que alguns dos chamados caminhos (religiosos) fazem.

Alguns dos caminhos religiosos criam este medo do inferno e do céu que coloca as pessoas em um tumulto de culpa e medo no qual a mente nunca poderia se acalmar. A meditação nunca poderia acontecer. Isso é muito lamentável. Portanto, mesmo que essas pessoas sejam aspirantes, elas não estão acessando o caminho.

Essas pessoas não têm acesso ao conhecimento:”Vamos, a mente é como um rio, o que você está segurando? Não segure nele. Todos os eventos foram embora, largue-os e siga em frente. Viva no momento presente”.

Este conhecimento não está disponível para muitas pessoas — que aspiram percorrer o caminho espiritual. Elas continuam se arrependendo do passado, se sentindo culpadas, e a mente se torna uma bagunça. É claro que elas rezam. Suas orações ajudam, e elas recebem algumas bênçãos. Bênçãos vêm a todos, sem dúvida, mas o conhecimento, o caminho certo e a libertação continuam a ser um sonho distante para elas. A paz não acontece em sua vida. Elas se sentam com a esperança de que um dia irão para o céu. E assim essas almas ficam presas com desejos e medos.

As pessoas conseguem uma vida humana para se livrarem de tudo isso. Então elas terão que voltar novamente para resolver todas essas coisas. Mais uma vez elas entrarão em meditação.

Então, um nascimento humano, desejo por um caminho, e o caminho que esteja disponível (Maha Purusha Sannidho: obter um Mestre Espiritual), essas três coisas são raras e difíceis de se obter. Se você tem todas as três, você tem sorte.

Qual a forma certa de amar?

qual-a-forma-certa-de-amar

Sri Sri Ravi Shankar – 19/02/2012 – The Huffington Post

Quais são os sinais do amor?

Quando você ama uma pessoa, não vê nada de errado nela. Mesmo que você veja uma falha nela, você a justifica de alguma forma dizendo: “Todos fazem isso; é normal”. Você acha que não fez o suficiente por ela e quanto mais você faz, mais você quer fazer. A pessoa está sempre na sua mente. As coisas comuns se tornam extraordinárias. Quando você ama alguém, você quer ver a pessoa feliz sempre e você quer que ela tenha o melhor.

Amor e beleza andam de mãos dadas. Se algo é lindo, você não pode deixar de amá-lo. Quando você ama esta criação, você a vê como bonita. Quando você está cansado dessa criação, você a acha feia. É por isso que para apreciar a beleza, primeiro você deve entender o amor. A compreensão de que estou falando não é meramente intelectual, mas olhar para todos os pontos.

Geralmente, quando amamos alguma coisa, queremos possuí-la. Se você aprecia uma pintura, você quer comprá-la e mantê-la em sua casa. Você encontra um bela peça de roupa, e embora saiba que vai usá-la apenas um par de vezes, você a compra e coloca no armário. Você conhece apenas uma maneira de amar – amar, possuir e esquecer. Quando você tenta possuir o amor, você rouba a sua beleza, e então esse mesmo amor lhe traz dor. Quem quer que você ame, você tenta definir condições. De uma maneira muito sutil você tenta governá-los. E tudo que você tentar controlar se tornará feio.

Você nunca amou alguém sem tentar possuí-lo. Começa na infância. Quando o segundo bebê vem, o primeiro bebê quer toda a atenção. “Por que você trouxe este bebê para casa?” Muitas crianças dizem: “Você pertence a mim e só a mim”. É um profundo samskara, uma profunda impressão, esse medo de perder o nosso lugar no coração de alguém que amamos.

Primeiro vem a atração. Quando se torna um pouquinho difícil alcançar o que está te atraindo, então você começa a amá-lo. Você notou isso? Se você simplesmente obtiver o que está atraindo você – em um estalar de dedos, rapidamente – você não desenvolve amor por ele. Um desejo deve surgir. Isso leva ao amor. Mas o amor traz o medo da perda.

No entanto, um amor que tem o medo da perda não irá florescer. Ele leva você a outras sensações e sentimentos feios. O ciúme vem. Há alguém que você ama muito – um amigo, um namorado, uma namorada – mas a atenção dele ou dela está em outra pessoa. Veja o que está acontecendo em seu estômago – está agitado. Você tenta todos os tipos de truques para negar o que está acontecendo dentro de você. Muita feiúra surge porque há medo de perda. Você nunca ama algo que é grande, que é enorme, porque você ainda não se tornou grande. E enquanto você estiver muito pequeno, não há alegria, não há felicidade, não há paz. A alegria é expansão, tornar-se grande em seu coração. Isso só pode acontecer em uma situação em que você está muito apaixonado, mas não pode possuir o que ama.

Você já pensou sobre por que você ama alguém? É por causa de suas qualidades ou é por causa de um senso de parentesco ou intimidade? Você pode amar alguém por suas qualidades e não ter um senso de intimidade. Este tipo de amor dá origem à concorrência e ao ciúme. Se o amor é baseado nas qualidades de uma pessoa, esse amor não é estável. Depois de algum tempo, as qualidades mudam e o amor se torna instável. No entanto, se você ama alguém porque essa pessoa faz parte de você, então esse amor permanece durante a vida. Amar alguém por fazer parte de você, sendo grandioso ou não, é amor incondicional. O amor que é centrado torna-se felicidade.

E quando há tanto amor, você assume total responsabilidade por qualquer mal-entendido. Por um momento você pode expressar desânimo na superfície. Mas quando você não sente o desânimo em seu coração, você chega a uma perfeita compreensão. Você está em um estado onde todos os problemas e todas as diferenças se afastam e somente o amor brilha completamente.

No mundo, as pessoas te amam porque você lhes dá conforto. Se você está exigindo provas de amor, você está dando conforto? Se alguém duvida do seu amor e você tem que prová-lo constantemente, isso se torna um fardo pesado para você. Sua natureza é largar o peso, então quando o amor é questionado, você não se sente confortável. Portanto, não peça a prova de que a outra pessoa o ama. O amor não precisa de provas. Ações e palavras não podem provar o amor.

As práticas espirituais, o conhecimento do Ser, do serviço e do satsang (reunidos em celebração) ajudam a criar um sentimento de pertencimento. Quando o amor brota de um sentimento de pertencimento, então as ações ou qualidades não ofuscam o amor. Nem qualidades nem ações podem ser perfeitas o tempo todo. Apenas o amor e um sentimento de afinidade podem ser perfeitos.

A importância da realidade invisível

a-importa%cc%82ncia-da-realidade-invisivel

Pergunta: Quando as pessoas ao nosso redor reconhecerão a importância da energia sutil, invisível, porém poderosa?

Sri Sri Ravi Shankar: Eu penso que o mundo está acordando devagar. As pessoas acordaram um pouco mais, se compararmos a como era antes. Algumas décadas atrás, era tão difícil falar com as pessoas sobre a realidade invisível e etérea. Mas hoje parece muito mais fácil. As pessoas parecem entender. De qualquer forma, sempre havia alguns grupos de pessoas que acreditavam em algo maior, algo etéreo e algo invisível.

O pai de um de nossos garotos ashramita é um grande empresário da industria. Durante o período que ele ficou no ashram, ele disse ao seu filho, “Você é tão jovem, só 24 anos, este é o momento para você ter uma paixão, uma ambição, crescer para ter uma vida melhor. O que você está fazendo sentado em um ashram como um aposentado? “

Sabe o que aquele rapaz respondeu ao pai? Ele disse: “Papai, as pessoas são ambiciosas sobre algo que se pode ver, é visível, tangível, elas querem mais dinheiro, um carro, um avião, um pouco mais em sua vida. Existe alguém que seja ambicioso sobre algo que ninguém viu? Algo invisível, mais elevado, muito maior, onde ninguém se aventurou? Estou aqui porque quero algo que ninguém viu, algo que é mais elevado, maior! Agora me diga, quem é mais ambicioso?” O pai do menino teve que ficar quieto.

Hoje em dia as pessoas estão muito mais abertas ao domínio do invisível, de onde tudo acontece, de onde as energias elevam o planeta, que é a causa de todas as causas. Às vezes, o caminho parece ser um pouco difícil, mas, finalmente, é o mais reconfortante, realizador, tranquilizador e gratificante. O que é muito agradável e confortável no início, e acaba como miséria no final, não é bom. E o que é difícil no início, mas acaba sendo doce e agradável no final, é chamado de tapas. Tapas significa tolerar, suportando os opostos, resistindo através das dificuldades, para que você tenha sucesso, aquele que é de longa duração.

Um grande empresário da industria na Índia, que também possuía aviões, viria a Bangalore e falaria com nossos ashramitas, especialmente Vinodji. Ele dizia: “eu invejo você, estou com tanta inveja de vocês”.
Naquela época, eu acho que nosso pessoal não entendeu muito, porque ele tinha tudo, eles se perguntaram como ele estava dizendo que tinha inveja das pessoas no ashram. Hoje é muito óbvio, porque ele perdeu tudo. Essas coisas – posição, fama, dinheiro, todos elas vêm e vão, eles não lhe dão a estabilidade e felicidade em sua vida, que parecem dar por algum período.

Não somos nossos pensamentos

light-bulb-1407610_1280

Pergunta: Se eu sou a fonte dos pensamentos, então há alguma diferença entre a fonte e a alma? Se é a mesma coisa, os maus pensamentos afetam a alma?

Sri Sri Ravi Shankar: Veja, quando é que você percebe se um pensamento é bom ou ruim? Você pode perceber isso somente quando o pensamento já chegou. Você não pode parar um pensamento ou conhecer um pensamento antes que ele venha. E quando vem, ele vai embora imediatamente. Se você permanece como uma testemunha do pensamento, ele simplesmente se afasta e some. Mas se você se agarrar a ele e o ficar mastigando, então ele fica com você.

Pensamentos vêm e vão, mas aquilo que é a base dos pensamentos – é o atma (alma). E isso é o que você é. Você é como o céu, e os pensamentos são como nuvens. Este é o exemplo mais próximo que se pode dar. Nuvens vêm e vão no céu, mas elas podem perturbar ou limitar a vastidão do céu de alguma forma? Não, de forma alguma.

Então, quando você voa acima das nuvens, quando você vai além das nuvens, você vê que o céu permanece intocado. Ele é o mesmo, está inalterado. São apenas os pensamentos que se movem.

É o que acontece na meditação. Quando você entra em Sakshi bhaav, ou seja, quando você simplesmente se torna uma testemunha dos pensamentos.

Nós não temos que nos amarrar aos pensamentos. Isso é loucura. Se eles são bons pensamentos, ou maus pensamentos – eles vêm e vão. Você está muito acima e além de tudo isso. Isso é chamado de Vihangam Maarg – que significa elevar-se além dos pensamentos e ver que você não tem nada a ver com pensamentos em movimento.

Como saber quem eu sou?

como-saber-quem-eu-sou

Pergunta: Gurudev, quando irei saber quem eu sou?

Sri Sri Ravi Shankar: Eu digo a você, primeiro pense sobre quem você NÃO é. Por enquanto, deixe a pergunta “quem sou eu?”.
Se você viesse me dizer, “Gurudev, eu sei quem eu realmente sou”, então isso significaria que você ainda não sabe. E se você diz “eu ainda não sei quem eu sou”,  isso também não é inteiramente verdade. Então eu diria, primeiro tente entender quem você NÃO é.

Vá perguntando-se, ‘quem eu não sou?’. Quando você descobre que tudo que você não é desapareceu e desmoronou, então um profundo silêncio surgirá dentro de você. E então você vai perceber que é só VOCÊ que realmente É, e não há nada mais, exceto VOCÊ.

Pergunta: Eu sinto que estou perto de encontrar quem eu sou. E quando vou me aproximando disso, sinto medo. Aconselhe-me por favor.

Sri Sri Ravi Shankar: Quando você pensa que está andando sozinho pelo caminho, o medo estará, definitivamente, presente. É assim que o medo aparece. Quando você sabe que tem um guia e que há alguém que está levando você em direção ao desconhecido, como pode haver qualquer medo? Essa é a razão pela qual você precisa de um Guru, um guia espiritual, porque andar pelo desconhecido é sempre difícil. E se você acha que está andando sozinho, então isso fica ainda mais difícil. É por isso que existem todas essas tradições de milhares de anos.

Como ter mais gratidão?

como-ter-mais-gratida%cc%83o

Pergunta: Gurudev, você disse que quanto mais gratidão tivermos, mais graça flui em nossas vidas. Como eu me torno mais grato?

Sri Sri Ravi Shankar: Primeiramente, deixe ir esse “mais”. Mais devoção, mais gratidão, mais alegria, mais felicidade. Precisamos deixar ir esse ‘eu quero mais e mais’.

Primeiro você estava pensando, ‘eu quero mais dinheiro, mais alegria, mais felicidade e mais prazer.’ Então você mudou sua tendência para querer mais paz, mais conhecimento, mais disso e mais daquilo.

Enquanto você estiver na corrida por mais, você não vai estabilizar. A menos que você estabilize, não há paz nem graça. Entendeu?!

Então, em algum ponto você deve pegar toda essa coisa de “eu quero mais”, jogá-la fora e dizer “ok, é isso!”.

É dito no Bhagavad Gita, ‘Yadrccha-labha-santusto Dvandvatito Vimatsarah‘.
Independente do que acontecer para você, você deve ter algum nível de contentamento e com o contentamento vem a gratidão. Se você está descontente, como você pode ser grato?
Se você está resmungando, você não pode ser grato, e se você não é grato, como pode haver graça? Você percebe o que estou dizendo? Um vai se encaixando no outro.

Então, agora, não me pergunte como alguém pode ser mais grato. Apenas pare de reclamar! Saiba que toda essa vida é como um sonho. Tudo se encaminha para o fim e tudo vai terminar um dia. A consciência sobre isso vai provocar uma mudança em você.

“Esta história vai acabar um dia e as cortinas vão cair”. Sabendo disso, de repente, uma mudança acontece. Da corrida por ter mais, para o contentamento. Vai acontecer isso.

Sri Sri responde 14 perguntas sobre o Karma

perguntas-karma

 

Pergunta: O que é Karma e como alguém pode aumentar a capacidade de entendê-lo?

Sri Sri Ravi Shankar: Tudo que você fez até agora é Karma. Tudo que você está fazendo nesse momento também é Karma. E tudo aquilo que você vai fazer no futuro; ou a inspiração para cada ação que você ainda vai fazer – isso também é Karma. Tudo que está acontecendo no mundo é Karma.

 

P: Gurudev, muitas vezes a minha intenção não está errada, mas a minha ação é incorreta. Será que vou acumular algum Karma ruim por isso?

SSRS: Se a intenção é correta, não se preocupe com isso. Embora a ação tenha algumas repercussões, não é nada demais quando a intenção é correta.

 

P: Gurudev, as doenças físicas ou enfermidades estão conectadas com o nosso Karma?

SSRS: Sim, algumas estão conectadas, mas não todas. Algumas estão conectadas às nossas ações no passado, e outras são o resultado das suas atitudes erradas do presente. Por isso é chamado de Prajnapradha (uma atitude errada cometida apesar de ter o conhecimento sobre o certo e o errado). Então, quando você não está completamente atento ou consciente, e comete alguma atitude errada, então sua saúde também sofre por isso.

 

P: Uma vida é suficiente para limpar todo o nosso Karma?

SSRS: Sim! Se um quarto está trancado por 20 anos, não leva 20 anos para limpar tudo e trazer luz de volta a esse lugar.

 

P: Ler nos jornais notícias que envolvem atitudes ruins de outras pessoas afeta o nosso Karma?

SSRS: Não, você deve ler isso de forma leve. Se você internaliza isso, sim, afeta sua mente. Do contrário, não afetará nada. Leia de forma leve e esqueça depois. Tudo faz parte do universo.

 

P: Gurudev, quando o momento é bom, todo mundo é bom para você. Então as pessoas são realmente boas ou é a bondade do momento que faz as pessoas boas? Estou confuso.

SSRS: Eu acho que você já sabe a resposta. Existem pessoas que você ajudou noite e dia e mesmo assim se tornaram suas inimigas. Não é? Quantos de vocês já tiveram essa experiência? Você não fez absolutamente nada de errado para uma pessoa e mesmo assim ela se tornou sua inimiga. De forma parecida, você não fez nenhum favor a uma determinada pessoa, mesmo assim ela te ajudou bastante e se tornou sua melhor amiga. Isso já não aconteceu?

Conseguir um amigo ou um inimigo acontece através de algum Karma. Se o momento é bom, mesmo um inimigo age como um amigo. E o seu momento não é bom, mesmo um amigo age como um inimigo.

 

P: Gurudev, onde devo procurar o que fazer e o que não fazer sobre o Karma?

SSRS: Você deve ouvir a sua própria consciência, sua intuição. Não faça nada que você não queira que outros façam a você. Esse é o critério. Nós devemos fazer aquilo que nos traga um benefício a longo prazo, mesmo a custo de uma situação desagradável em curto prazo. Nós não deveríamos fazer aquilo que nos dá prazer no curto prazo e problemas no longo prazo. Esse é o critério para o Karma.

 

P: Como se livrar do Karma negativo? Como ele surgiu?

SSRS: Eu quero fazer uma pergunta a você. Quando as luzes não estavam acesas nesse quarto, havia escuridão aqui, certo? Quando acendemos as luzes, para onde foi a escuridão? Foi para outro quarto? Ela escapou pela janela? Entendeu? Do mesmo jeito, se o Karma negativo está lá, está um pouco escuro, não tem luz. Acenda a luz, e a escuridão desaparece.

Como se livrar do Karma negativo? Através da meditação, serviço e conhecimento. Sirva a quem necessita. Saiba que o Karma negativo não o toca; uma sombra não pode me tocar.

 

P: Gurudev, o destino pode ser mudado? Se sim, como? Eu quero limpar meu Karma negativo.

SSRS: Você está no lugar certo, fazendo a coisa certa. Meditar, cantar, e fazer muitas atividades de serviço, o Karma passado vai ser limpo.

 

P: Gurudev, no Bhagavati Gita, Lord Krishna diz que temos que realizar o Karma (ações) enquanto estivermos vivos. Mas um Karma conduz a outro Karma. Por isso esse ciclo nunca acaba. Minha pergunta é, qual é o Karma pelo qual poderemos ser liberados do ciclo do Karma?

SSRS: Libertação é adquirida por Nishkama-Karma (Ação que é feita sem qualquer febrilidade ou apego aos frutos dessa ação).

 

P: Gurudev, os pensamentos e sentimentos afetam nosso Karma (ações)?

SSRS: Sim, isso está, de fato, correto. Os pensamentos e sentimentos de alguém determinam seu Karma. O modo como alguém percebe pessoas e coisas em torno de si, faz com que essas coisas surjam da mesma maneira para ela. As pessoas vão aparecer para você do jeito que você percebe que elas são. Se você enxerga uma pessoa como uma amiga, ela se torna uma sua amiga. Se você considerar alguém como seu inimigo, ele vai se comportar como um inimigo para você. Então, eles vão parecer seus inimigos, mesmo que eles não tenham feito nada para você.

É dito – ‘Yatha drishti tatha srishti’ – ou  “da forma que uma pessoa enxerga, assim o mundo se apresenta para ela”.

 

P: Como o Karma dos nossos pais e antepassados nos afeta? Nós também somos punidos por causa dos Karmas ruins deles?

SSRS: Ouça, se um antepassado deixou uma casa para você, isso não é um benefício para você agora? Por que você está fazendo uma pergunta tão óbvia? Eles ganharam muito dinheiro, trabalharam, construíram uma casa e a deixaram para você. Você está aproveitando esse Karma, não está? E se eles se foram com uma grande dívida no banco, e você tem que pagá-la, isso também é seu Karma. Então naturalmente isso te afeta.

Não só os seus pais, mas a sua empresa também te afeta. Se você fica sentado com pessoas muito deprimidas, você também vai se sentir muito para baixo e deprimido. Se você estiver numa empresa alegre, com pessoas espiritualizadas, seu Karma melhora.

 

P: Gurudev, o Guru pode mudar o Karma de uma pessoa, e quando isso acontece?

SSRS: Se um Guru sozinho pudesse mudar o Karma de uma pessoa, ele mudaria o Karma de todo mundo em uma tacada só. Não, você também tem que fazer algum esforço. Guru definitivamente pode aliviar seus pecados. Quando você comete um pecado e se dá conta que cometeu um erro, você não pode se libertar desse pecado, mas o Guru definitivamente pode fazer isso por você. Nesse sentido, sim!

Da mesma forma, você tem que fazer Purusharth (auto-esforço). Você precisa fazer um bom trabalho. E o senso de amor e devoção é diretamente proporcional ao montante de Karma  liberado.

 

P: Guruji, como evitamos ‘Karma Bandhan’ (aprisionamento devido às ações) no nosso dia-a-dia?

SSRS: Karma Bandhan é quando há algum desejo ou aversão. Nós chamamos tanto o desejo quanto a aversão de ‘Karma Bandhan’. Então, quando você pratica alguma ação sem aversão nem desejo, com um sorriso, com a mente livre e coração limpo, então não há aprisionamento. Esse tipo de ação traz a liberdade interna também.

Como lutar contra injustiça?

como-lutar-contra-injustic%cc%a7a

19/08/2016 – Bangalore, Índia.

Pergunta: Como posso lidar com o racismo e o bullying? Estou sendo vitimado. Como posso lidar com isso?

Sri Sri Ravi Shankar: Primeiro de tudo saia dessa consciência de vítima. Quando você sente que é uma vítima, você mantém a procura por um culpado, e fica muito chateado. Você sente pena de si, e precisamos sair disso.

Neste mundo, existem pessoas boas e pessoas más. Eu diria que as pessoas más também são boas pessoas na verdade. A bondade está escondida nas pessoas más. Está apenas velada e coberta por ignorância.

Não estou dizendo para que não lute contra a injustiça. Dê um passo firme na luta contra a injustiça. Além disso, você não pode lutar contra a injustiça sozinho. Você precisa reunir pessoas e trazê-las juntas para lutar contra a injustiça.

Se você quiser lutar contra a injustiça, então você deve. Mas lute com um profundo sentimento de paz e confiança dentro de você. O conhecimento lhe trará a paz e a tão necessária confiança para lutar contra a injustiça com um sorriso inabalável.

Veja, se você perde a calma e fica irritado, você se torna fraco. Isso drena sua energia. Raiva drena sua energia dez vezes mais. Ódio drena a energia muito mais do que a raiva. Raiva e ódio tornam você fraco, e então você perde a energia para lutar.

Para lutar, você precisa de força e força só é possível através de centramento e paz interior. Essa é a mensagem completa do Bhagavad Gita. Krishna diz: “Você luta, mas apenas depois de encontrar sua paz interior, depois de ultrapassar seus desejos e aversões. Lute pela justiça”.

Eu não estou dizendo que você deve se curvar ante a injustiça e apenas engolir as mentiras do mundo. Não, de forma alguma. Nós nunca devemos nos curvar à injustiça, mentiras (falsidade), e fraudes. Nós definitivamente devemos nos levantar contra ela, mas não com raiva, arrogância, ou com uma mente perturbada. Devemos fazê-lo com uma mente firme e intenção estável.

O que fazer quando estamos confusos?

o-que-fazer-quando-nos-sentimos-confusos

20/08/2016 – Bangalore, Índia.

Pergunta: Existe uma forma “correta” ou é tudo uma ilusão? Existe alguma coisa que precisa ser feita aqui, ou apenas estar aqui é bom suficiente? Como saber o que devemos fazer em seguida? Devemos nos ater ao que é seguro, ou devemos tentar o desconhecido? Se nós sinceramente não temos idéia do que fazer, então, o que devemos fazer? Como se livrar dessa confusão?

Sri Sri Ravi Shankar: Eu não quero adicionar nada à sua confusão, minha querida. Meu trabalho é criar confusão. Na verdade, eu não estou aqui para convencê-lo. Sabe, a confusão é como o fogo para que você possa assar algo melhor.

O que confusão significa? Significa que um conjunto de conceitos foi quebrado, e você está em um vácuo. É sinal de bom crescimento, se permanecer por um tempo curto. Então, apenas esteja com ela. Você está no lugar certo.

O que está acontecendo agora? Você tem dúvidas agora? Veja, devemos entender isso sobre as perguntas. Quando é que mais perguntas surgem em nossa mente? Quando o nível de prana (energia vital) está baixo, então você tem muitas perguntas em sua mente. Quando o nosso nível de prana é alto, então a questão se transforma em uma exclamação (um sentimento de admiração). Você diz “Uau!”, e isso se torna o prefácio para o yoga. Então, apenas esteja com a pergunta e a transforme em maravilhamento. Isto é o que Buda também ensinou: “Anuttaro bhava“, ou “Esteja sem resposta!”. Que significa entrar em um estado de maravilhamento.